19 de julho de 2011

A Polémica E. Coli e as Retiradas de Produto do Mercado

Fotogaleria F. Santarém (clique na imagem)
No decorrer do mês de Maio e Junho, após a detecção da bactéria E. coli em alguns produtos hortícolas na Alemanha e a sua diagnostificação como causa de algumas dezenas de mortes por contaminação alimentar, os diversos órgãos de comunicação social da Europa fizeram desta problemática a capa dos jornais e o tema de discussão em programas televisivos e radiofónicos. O pânico instalou-se entre consumidores, com notícias diárias que levantavam suspeitas quase de forma arbitrária sobre diversos produtos hortícolas consumidos em fresco. Primeiramente o pepino mas a polémica passou também pelas alfaces e pelos rebentos de soja. O estado espanhol foi o principal alvo desta irresponsabilidade. Todas estas notícias vieram mais tarde a provar-se infundadas e ainda hoje está por esclarecer a origem do foco E. coli. Com este processo ficaram a perder, essencialmente, os horticultores que não conseguiram escoar os seus produtos ou que os venderam ao desbarato, abaixo do preço de custo (ex: em Portugal: pepinos - 0.03€, tomate - 0.06€). O mercado contraiu-se e ainda hoje não recuperou por completo.
Fotogaleria (clique na imagem)

Plataforma de consulta das acções de formação certificadas - uma garantia de formação de qualidade

Desde 25 de Maio último, que está disponível a Caderneta Individual de Competências, um dos instrumentos criados no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações. Desde então, todas as formações promovidas pela AIHO estão disponíveis para consulta pelo formando neste site,  bastando para tal proceder a um pequeno registo de acesso.


Esta caderneta, com modelo e conteúdo aprovados pela Portaria n.º 475/2010, de 8 de Julho, possibilita a consulta das competências (unidades de competência ou de formação integradas no Catálogo Nacional de Qualificações ou outras acções de formação não inseridas no Catálogo Nacional de Qualificações) obtidas ou desenvolvidas pelo seu titular, ao longo da sua vida. A compilação desta informação resulta do registo obrigatório na plataforma SIGO efectuado pelas Entidades Formadoras ou Centros Novas Oportunidades onde os adultos desenvolveram percursos de qualificação, o qual é automaticamente transposto para a Caderneta.

É também através desta plataforma que as entidades formadoras que estão a trabalhar em conformidade com a legislação devem emitiros seus diplomas.

Jorge Evaristo, Lda - Associados da AIHO

Com uma história de gerações no comércio de produtos hortícolas a empresa Jorge Evaristo, Lda. tem percorrido um caminho de sucesso. Operando inicialmente apenas com hortícolas produzidas na Região Oeste e comercializadas a nível nacional, já desde 1995 que a empresa se lançou no mercado internacional e alargou também os seus fornecedores ao restante território nacional e internacional, nos momentos em que a produção nacional é insuficiente. Em 2004 foi criada uma empresa própria de import/export que permitiu atingir novos mercados. Actualmente a exportação para o mercado europeu representa cerca de 90% da totalidade do volume de negócios. Diariamente saem da central vários camiões que distribuem cerca de 9 a 10.000 toneladas de produtos hortofrutícolas por ano – as couves representam mais de 90%.

(fotogaleria - clique na imagem)
Para além da produção própria a empresa colabora com mais de 100 agricultores que asseguram diariamente o fornecimento de cerca de 60 toneladas de produtos frescos, sendo que mais de 90% da colheita é assegurada por um conjunto de equipas da empresa.

Autorizações Recentes de Usos Menores Solicitados pela AIHO

A AIHO está a efectuar vários pedidos de uso menor no sentido de aumentar o número de produtos possíveis de aplicar em várias culturas hortícolas, disponibilizando assim mais ferramentas para a gestão de pragas e doenças.

Informa-se que os seguintes produtos foram recentemente autorizados, embora não estejam ainda divulgados no site da DGADR:


Domark - A escolha certa contra os Oídios e Pedrados

O Domark é um fungicida sistémico à base de tetraconazol com elevada eficácia sobre Oídios e Pedrados.

O Domark actua na inibição da biossíntese de ergosterol (componente essencial da membrana celular dos fungos), de forma preventiva e curativa, estando homologado para várias utilizações nomeadamente contra Pedrado da Macieira e Pereira e Oídios da Macieira, Videira, Pessegueiro, Morangueiro, Meloeiro, Abóborinha, Pepino e Roseira.

O Domark é um fungicida de amplo espectro de acção que pode ser utilizado tanto em culturas protegidas como de ar livre (mais informações aqui).